Leads: o que são e por que qualificá-los é essencial no Inbound Marketing?

A transformação digital deu aos seus consumidores a autonomia e a capacidade de pesquisar e encontrar soluções que se alinham aos seus valores, dessa forma o processo de venda precisou se adaptar também, pois a decisão de um comprador já está, muitas vezes, concluída antes de precisar falar com a equipe de vendas.

Como a sua empresa se adapta à esta nova maneira de vender? Uma coisa é certa: você evolui com isso, alinhando sua equipe de vendas e marketing para oferecer uma melhor experiência ao cliente, e isso pode ser feito por meio do Inbound Marketing.

Quando se trata de Marketing Digital, o Inbound Marketing é a abordagem mais eficaz para converter o tráfego da web em clientes fiéis. Se você deseja obter os melhores resultados e gerar Leads mais qualificados em seu funil de vendas, é necessário incluir táticas essenciais de Inbound Marketing em sua estratégia.

Neste artigo, vamos falar um pouquinho mais sobre Inbound Marketing e por que qualificar seus leads é um fator essencial para o sucesso de um projeto de Inbound Marketing. Acompanhe com a gente!

O que é Inbound Marketing?

O Inbound Marketing é uma abordagem projetada para engajar um potencial cliente e o atrair para a sua marca por meio da criação de conteúdo de qualidade e que agregue valor a ele. Trata-se de capacitá-lo em todo o funil de vendas e continuar a encantá-lo através do uso de conteúdo, mesmo depois de se tornar cliente.

Ok, sabemos bem o que são clientes, mas o que são Leads?

Em geral, um lead é alguém que entra em contato com sua marca em busca de conhecimento ou mais informações sobre seu produto. Para fazer isso, eles estão dispostos dar suas informações pessoais de contato para receberem uma oferta de conteúdo, geralmente informativa.

Este tipo de cliente é essencial para a sua marca crescer, independentemente do seu nicho. Afinal, ter contato de várias pessoas em troca de informações é uma ótima maneira de descobrir como transformá-las em clientes.

Como solicitar as informações de contato do seu potencial cliente?

Os formulários de assinatura para receber materiais diferentes ou até para assinar uma newsletter são excelentes para ter as informações de contato do seu cliente. Dessa forma, você pode saber quem está realmente interessado em saber mais sobre os seus serviços ou produtos.

É importante saber que uma marca, antes de possuir um Lead qualificado, certamente desenvolveu pautas em cima da realidade de nossas personas. Depois é preciso saber que nem todos que seguem sua marca na Internet podem ser considerados leads. Existem algumas diferenças fundamentais que você precisa saber para poder classificar os seus usuários.

Visitantes x assinantes

Os visitantes são pessoas que acessam seu website em um determinado período de tempo. Eles não são necessariamente visitantes frequentes, mas você sabe que eles já estiveram lá antes.

Assinantes são aqueles que se inscreveram no seu boletim informativo e seguem sua marca nas mídias sociais. No entanto, a princípio, eles só querem obter conteúdo informativo.

Eles ainda não sabem que têm um problema e que precisam de uma solução. Mas o interessante é que os inscritos querem saber mais, é por isso que acessam sua página. Eles são potenciais leads.

Leads são usuários que estão ao alcance da empresa. Se você já tem informações como o endereço de e-mail ou até mesmo o número de telefone delas, é possível pensar em estratégias para torná-las seus clientes.

Mas por que é tão importante ter as informações pessoais de contato de alguém?

O e-mail é um dos principais canais de comunicação na Internet. Portanto, é uma ferramenta poderosa. Esse tipo de contato é baseado em pessoas reais que deram permissão para você falar com elas.

Assim, o Lead não é apenas uma pessoa que forneceu as suas informações pessoais para uma empresa, e sim um contato qualificado. Significa que ele é alguém que já identificou um problema e sabe que precisa de uma solução.

Como nutrir leads?

Não adianta ter pessoas interessadas em seu serviço, que já forneceram seu endereço de e-mail, se não gerarem lucro em algum momento. Você precisa nutrir seus Leads. Isso significa percorrer todo o caminho, desde informações de contato pessoal até a transformação em comprador.

Esse caminho seguido pelo Lead até o momento em que conclui a venda é conhecido como jornada do comprador ou funil de vendas. Em outras palavras, é o que a pessoa faz para uma empresa. São as experiências pelas quais ela passa até que ela compre o seu produto.

E como você pode nutrir seus leads?

Por meio das táticas do Inbound Marketing, que são: produção de conteúdo completo e inovador para educar as pessoas que procuram o seu serviço, e-mail marketing, otimização de mecanismos de pesquisa (SEO), para possuir tráfego orgânico para o seu site, publicidade paga (Pay Per Click), investir em redes sociais, entre outros.

Em resumo: forneça informações interessantes. Não se faz Inbound Marketing sem conteúdo bom. As pessoas que pesquisam a sua marca e deixam suas informações de contato entrarem em contato com você estão em busca de algo além da venda e compra de produtos. Eles querem ser educados e direcionados para tomar uma decisão inteligente.

É por isso que o foco do seu conteúdo não deve se basear apenas nas vendas. Mostre às pessoas que elas podem usar o que você oferece na forma de material educacional. Assim, você capacita seus clientes em potencial.

Ficou alguma dúvida de como Leads qualificados são essenciais para o crescimento da sua marca na web? É só chamar! ;)

Formada em Letras e Jornalismo, Camila ainda tem dúvidas sobre qual caminho seguir. Mas uma coisa é certa: sua missão no mundo é dar voz aos animais. Por ora, se aventura no mundo do Marketing Digital.

A importância das palavras-chave no post blog da sua empresa!

Se você já tem um blog, o segundo passo é produzir conteúdo. Algo óbvio, certo? Nem tanto: algumas pessoas tentam, de modo um tanto desajeitado, espremer a sua lista de palavras-chave em frases nas quais elas simplesmente não fazem sentido – e os buscadores sabem disso.

Neste artigo, você confere a importância das palavras-chave para cada postagem do blog da sua empresa e como elas te fazem chegar nas primeiras páginas do Google. Ou Bing, por que não? Acompanhe a seguir.

Pesquisa rápida de palavras-chave para o seu post

Antes de tudo, você precisa se colocar no lugar do usuário. Ao pesquisar informações de um artigo, que tipo de consulta você digitaria no Google? E mais: se você realizar essas pesquisas, quais sites aparecerão primeiro nos resultados? Visite os sites e leia os artigos que alcançaram o ranking da primeira página para esses termos. Eles satisfazem sua intenção de busca? Se não, por quê? Talvez você possa fornecer informações melhores sobre o assunto – ou talvez essas não sejam as palavras-chave que as pessoas utilizam para encontrar o tipo de informação de seu artigo.

Criando a postagem no blog: qualidade e otimização

A quantidade de palavras-chave escolhidas para a composição de seu texto não deve impedir-lhe de escrever criativa e concisamente. Ou seja: não deve haver negociação entre conteúdo bem escrito e conteúdo otimizado. A qualidade e a otimização do mecanismo de busca do conteúdo – com o perdão da redundância – precisam estar em harmonia, de maneira que uma não comprometa a outra.

Se você perceber um número alto de palavras-chave, escolha sinônimos. Mas não apenas isso: preste atenção no conteúdo das palavras-chave e na forma de utilização dos termos para dar relevância a elas. O Google usa o LSI (Latent Semantic Indexing) para processar informações on-line.

Se você está concentrado demais nas palavras escolhidas, a ponto de ignorar completamente os outros termos relacionados – que os mecanismos de pesquisa, como o Google, esperam ver em seu artigo –, a relevância e a qualidade de tudo o que você produziu será colocada em xeque.

Referencie os seus próprios artigos

Vincule internamente o seu novo conteúdo às suas outras postagens, fazendo, quando relevante, referência aos seus próprios artigos e páginas. Ao fazê-lo, você não apenas indicará aos mecanismos de pesquisa que essas postagens são relacionadas umas às outras, mas também fornecerá aos leitores um recurso adicional útil para dar suporte aos pontos abordados no blog.

Mas não exagere com a vinculação, ok? Cada link deve ter a sua importância para o leitor – e perderá a sua importância se apresentado às dúzias. Afinal, nada parece mais spam do que uma postagem cheia de links.

Onde mais você pode colocar suas palavras-chave?

Além das palavras-chave presente no seu conteúdo, você pode colocar em outros lugares do seu post blog e isso fará toda a diferença na hora da pesquisa do usuário. Confira:

URL/permalink

Preferencialmente, ela precisa refletir o título do artigo. A URL deve ser fácil de ser gravada pelo usuário e fácil de ser encontrada pelo Google.

Imagens

Não se esqueça de marcar as alt tags em suas imagens. Embora o Google possa adivinhar o tema delas, ele ainda não é capaz de lê-las com precisão. Ao marcar as imagens com alt, você estará dizendo à plataforma o que significam as palavras-chave.

Mas cuidado: é importante não encher a tag com núcleos que não possam ser lidos naturalmente. Não se esqueça de que o objetivo desse recurso é comunicar o conteúdo das imagens àqueles que utilizam navegadores que não podem exibi-las.

Título

Idealmente, o título deve ser um H2 e incluir a palavra-chave. Tal ação, apesar de não obrigatória, é considerada uma boa prática.

E voi-là: criando os posts de blog de tal maneira, você, essencialmente, indicará ao Google que a sua página é a mais relevante para a pesquisa do usuário.

E aí, gostou desse artigo? Deixe-nos um comentário.

E se você está procurando produtores de conteúdo que manja tudo de SEO e mais um pouco, conheça a Owl!


Formada em Letras e Jornalismo, Camila ainda tem dúvidas sobre qual caminho seguir. Mas uma coisa é certa: sua missão no mundo é dar voz aos animais. Por ora, se aventura no mundo do Marketing Digital.

Entenda como o blog da sua empresa vai ajudar você a conquistar clientes e vender muito mais!

Os blogs são fundamentais para a comunicação da sua empresa e também nos projetos de Inbound Marketing.

Neste artigo, você vai conhecer as diferenças entre site e blog, o por que é tão importante ter um blog para sua empresa e seus benefícios!

Qual é a diferença entre Site e Blog?

Antes de tudo, você sabe a diferença entre sites e blogs? Uma das principais diferenças é o envolvimento entre o proprietário e o visitante. Os blogs costumam ser usados como mídias sociais, porque os visitantes podem deixar comentários e conversar com o proprietário do blog.

Outro aspecto é a frequência com que é atualizado. Muitos sites são estáticos, as informações não mudam. Blogs, por outro lado, são como sites de notícias: são atualizados com novos conteúdos frequentemente.

Como muitos recursos novos que surgem, os empreendedores reconheceram o formato do blog como uma ferramenta de marketing e começaram a usá-lo para fornecer informações e atualizações para seus clientes e também como uma forma de atrair novos negócios. A partir daí os blogs se transformaram em uma nova e efetiva estratégia de marketing.

Blog para empresas

Inicialmente, as empresas tinham um blog separado de seus sites, mas hoje você pode integrar facilmente os dois para facilitar o gerenciamento e, ainda, facilitar o acesso dos visitantes.

Embora existam plataformas de blogs gratuitas, como o Blogger e o WordPress.com, para manter uma aparência profissional, que permita que sua marca seja destaque, use uma opção de domínio e hospedagem na web, assim você pode ter um blog personalizado para você.

Os benefícios de criar um blog

Além de ser extremamente importante para um projeto de Inbound Marketing, o blog tem muitos benefícios para as empresas. Conheça todos os objetivos de criar um blog para a sua empresa:

Maiores oportunidades de compra

Ofereça dicas úteis, atualizações e outros novos conteúdos sobre o seu negócio. Dessa forma, você dará às pessoas uma razão para vir e / ou retornar ao site da empresa, o que lhes dá a oportunidade de comprar.

Além disso, informações relevantes ajudam os consumidores a se sentirem satisfeitos em gastar dinheiro com seu produto ou serviço.

Melhora o Ranking do site no Google

Faça um bom conteúdo e preste atenção nas palavras-chave que geram tráfego para seu site.

O Google, em particular, gosta de encontrar e classificar novos conteúdos, e muitos empresários usam blogs especificamente para otimização de mecanismos de busca (SEO).

Credibilidade

As pessoas gostam de saber com quem estão fazendo negócios, então mostre seu conhecimento para ganhar confiança e credibilidade com o mercado. Com um blog, você pode provar que é um especialista.

Pode ganhar dinheiro além do seu produto ou serviço

Você pode aceitar publicidade, promover produtos afiliados e obter patrocinadores, adicionando outras fontes de receita à sua empresa.

Interação e engajamento

Os blogs são redes sociais, então as pessoas podem fazer perguntas, fornecer feedback ou compartilhar suas publicações. Se você começar a receber comentários, alimente-os. A maneira mais fácil de fazer isso é simplesmente responder.

Incentivo às inscrições de e-mail

As inscrições são outra ótima maneira de manter as pessoas interessadas no seu negócio, além de voltar ao seu blog, o que, novamente, dá a elas mais oportunidades de gastar dinheiro com você.

E aí, o blog é uma boa para ajudar o seu negócio? Conta pra gente!

Se tiver alguma dúvida, já sabe. Só nos contatar, temos ótimos produtores de conteúdos para a web! 😉

Formada em Letras e Jornalismo, Camila ainda tem dúvidas sobre qual caminho seguir. Mas uma coisa é certa: sua missão no mundo é dar voz aos animais. Por ora, se aventura no mundo do Marketing Digital.

Inbound marketing: conteúdo para prospectar novos clientes

Os consumidores estão cada vez mais exigentes e se interessando por produtos e serviços que realmente tenham a ver com eles, do contrário, vão para o concorrente em apenas um clique.

Para isso, é fundamental produzir uma comunicação que atraia e engaje para fechar mais negócios. Hoje, fazer isso, não é mais um diferencial, mas uma obrigação para se manter no mercado. Justamente dessa necessidade, nasceu o inbound marketing.

Sabemos que o inbound marketing é novo e que muitos empreendedores ainda não conhecem ou ainda tem dúvidas. Por isso, neste artigo, vamos explicar certinho o que é inbound marketing e por que ele é fundamental para prospectar novos clientes para sua empresa.

O que é inbound marketing?

O inbound marketing também é conhecido como marketing de atração e tem como base o SEO, marketing de conteúdo e redes sociais.

Por meio de conteúdo relevante, atrai o cliente em potencial, mostrando realmente solução para os seus problemas e não oferecendo o produto ou serviço a eles de maneira agressiva, como era realizado há um tempo não tão distante.

Com essa estratégia de inbound marketing, as pessoas impactadas são aquelas que realmente tem interesse no que a sua empresa oferece.

Elas se sentem confiantes e permitem que a sua comunicação seja cada vez mais próxima, criando um vínculo que pode resultar na venda.

De maneira bem resumida, o inbound marketing atrai o cliente pelo conteúdo e, depois disso, são apresentados a soluções que só serão resolvidos com o seu produto ou serviço.

É muito mais sútil do que o marketing tradicional, mas também muito mais eficiente por ser segmentada e falar diretamente com o público-alvo, sem atirar para todos os lados.

As principais características do inbound marketing

Para exemplificar o que é de fato o inbound marketing, separamos algumas características:

  • Existe interação entre a marca e os clientes a partir do conteúdo publicado no blog e nas redes sociais, por exemplo.
  • O conteúdo é pensado estrategicamente e alimentado de maneira contínua, para que o cliente receba sempre nos momentos mais convenientes (entender a persona é fundamental para isso).
  • Por não ser uma comunicação agressiva e utilizar informações e conteúdos relevantes para criar o vínculo, o engajamento é muito maior do que em outras estratégias de marketing.
  • Os e-mails marketing são disparados para o público segmentado e no momento certo por meio de um fluxo de nutrição.

Qual a diferença entre inbound marketing e outbound marketing?

Ressaltamos que o inbound marketing alcança muito mais resultados do que as estratégias de marketing tradicionais, como o outbound marketing, então agora é a hora de explicar realmente a diferença entre as duas.

São estratégias com diferentes focos, porque o inbound marketing quer conquistar o público-alvo de maneira espontânea, planejando cada etapa do funil de vendas até que se converta em vendas.

Para isso, como dissemos, é preciso criar vínculo com o cliente a partir de conteúdo relevante e de soluções para os problemas dele.

Enquanto isso, o outbound marketing tem uma abordagem mais agressiva, principalmente pelo setor de vendas, como é o caso do telemarketing.

Não existe abordagem certa ou errada, tudo depende do seu segmento e do seu público-alvo baseado na persona que você montou.

O outbound marketing tem uma comunicação mais unilateral, onde a marca diz o público ouve, além de ter uma interrupção constante tentando convencer o cliente a comprar e um menor engajamento.

Ainda é a mais utilizada, porém, o inbound marketing vem ganhando espaço, ainda mais pela popularização das redes sociais que facilitam a comunicação entre empresa e consumidores.

E aí, gostou do inbound marketing? Entre em contato e vamos pensar na melhor estratégia para a sua empresa.

Sem dúvida, vai alcançar excelentes resultados com o seu público. Se tiver qualquer dúvida, estamos à disposição. Entre em contato pelo site, redes sociais ou aqui pelo blog. ❤

Jornalista, copywriter (mas pode me chamar de redatora também!) e crítica de cinema. Apresenta há 3 anos o Cine CBN, da CBN de Maringá, e escreve sobre cinema para blogs e outros veículos. Chora em O Rei Leão, sonha com a Nicole Kidman e reza para a santa Cher. É pós-graduanda em marketing digital e docência do ensino superior.

Persona: descobrindo quem é o seu cliente e do que ele precisa

É claro que conhecer o seu cliente em potencial é fundamental para se comunicar, mas você sabia que só isso não basta para vender mais?

Desenvolver uma estratégia com informações apenas sobre os seus possíveis compradores pode ser um tiro no pé porque você desconsidera questões importantes como o que fazem, do que precisam, qual a idade, gênero, hábitos e características específicas. É justamente aí que entra a necessidade de trabalhar uma persona.

Parece complicadinho, mas vamos explicar. Continue a leitura deste artigo!

Qual a diferença entre persona e público alvo?

Com certeza, você já ouviu o termo público-alvo, que é quando você pensa de maneira abrangente em um grande número de pessoas que pode adquirir o seu produto ou serviço. Nesse caso, você considera principalmente questões demográficas e socioeconômicas.

Por muito tempo esse pensamento de que o público-alvo era o mais importante foi utilizado para definir quem seriam as pessoas atingidas por uma campanha de marketing, mas hoje já se pensa em outros direcionamentos devido a era digital, informação e consumidores mais exigentes.

Agora, as empresas querem entender os clientes mais a fundo para que realmente atinjam as pessoas certas e é justamente nesse ponto que entra a definição de uma persona.

Criar uma persona nada mais é que montar perfil semifictício de um cliente com as condições ideais para comprar o produto ou serviço da empresa. Para saber disso, é necessário compreender que ele ou é e do que precisa, indo muito além das informações do público-alvo.

Como aplicar o conceito de persona em minhas estratégias de marketing digital?

Se você chegou até esse artigo é porque tem interesse em uma boa estratégia de marketing digital. Então, reforçamos que, para isso, é necessário se basear no público que você deseja atingir.

O consumidor deve estar realmente no centro das atenções e a comunicação precisa despertar o interesse deles. Você se lembra que falamos que a persona deve ser bastante completa? Pois é justamente para haver vínculo, conexão e empatia entre a sua marca e o cliente, possibilitando uma segmentação focada e que alcança os resultados esperados.

Sem a criação de uma persona, ou seja, uma figura tão real quanto um personagem de verdade, fica difícil ter informações suficientes para saber qual a melhor estratégia a ser seguida. Não é possível saber a melhor ideia de conteúdo a ser criado, quais os tipos de iscas digitais ou qual rede social escolher, por exemplo. Isso porque você não sabe onde o seu potencial cliente realmente se encontra.

Trabalhando uma persona, você terá informações muito mais conclusivas sobre o seu público, o que facilita muito as estratégias de marketing digital. A partir do momento em que você sabe com quem está falando, pode criar uma comunicação personalizada, relevante e se aproximar de quem realmente importa.

Mas não é só isso, uma persona facilita entender qual a melhor linguagem a ser utilizada, em quais formatos, sobre quais assuntos, quais as palavras-chave, quais os melhores momentos para oferecer o produto ou serviço e outras coisas fundamentais para a estratégia de marketing digital.

Como criar minha persona?

Chegamos até aqui, agora é a hora de aprender a colocar a mão na massa e descobrir qual a persona da sua empresa. Para isso, é preciso pensar nas perguntas certas, para não resultar apenas em um “achômetro” e sim em uma pessoa que reflita a realidade.

Esse planejamento fará com que você entenda muito melhor o seu cliente. Vamos para alguns exemplos de perguntas:

  • Trabalha com o que?
  • Quais os principais objetivos no trabalho?
  • Quais as maiores dificuldades para alcançar esses objetivos?
  • Quais as principais responsabilidades?
  • Um pequeno histórico com idade, nacionalidade, estado civil e filhos.
  • Onde costuma fazer compras?
  • Faz compras online?
  • O que faz para se divertir?
  • Utiliza redes sociais com qual frequência?
  • Utiliza a internet com interesse em que?
  • Qual o maior sonho?

Um exemplo de persona é: Paulo tem 30 anos, formado em gestão comercial em uma pequena empresa. Ganha entre R$ 3 mil e R$ 5 mil, é casado e tem um filho. Gosta de comprar livros e acessórios pela internet, já tem um gasto mensal separado para isso e está sempre atento às novidades. A principal dificuldade na hora da compra é o frete, por isso, sempre busca a melhor promoção para adquirir os produtos. Utiliza as redes sociais para saber mais de moda, literatura e cinema. Mora em Maringá e sai toda semana com a esposa para restaurantes e bares. É um influenciador na sua equipe de trabalho e sabe como liderar pessoas.

Agora você já sabe a importância da persona como ferramenta poderosa do marketing digital. Sem dúvida, vai te ajudar muito a aperfeiçoar o público-alvo e a alcançar os seus resultados. Se tiver qualquer dúvida, estamos à disposição. Entre em contato pelo site, redes sociais ou aqui pelos comentários do blog.

Até a próxima! 😉

Jornalista, copywriter (mas pode me chamar de redatora também!) e crítica de cinema. Apresenta há 3 anos o Cine CBN, da CBN de Maringá, e escreve sobre cinema para blogs e outros veículos. Chora em O Rei Leão, sonha com a Nicole Kidman e reza para a santa Cher. É pós-graduanda em marketing digital e docência do ensino superior.